SES-MG zera o passivo de demandas do Núcleo de Judicialização pela primeira vez

24/09/2020 17:20:00 - Atualizado em 24/09/2020 17:26:38

Foto: Reprodução/Internet.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) zerou pela primeira vez o histórico de demandas do Núcleo de Judicialização da Saúde (NJS) devido à adoção de processos de gestão para identificar problemas e padronizar procedimentos. No início do ano, 5030 processos aguardavam registro e análise.

“Durante muitos anos, uma decisão judicial chegava no NJS e demorava semanas ou meses para ser tratada. Havia uma fila de espera. Em setembro solucionamos o passivo de entradas, o que consideramos uma conquista histórica”, afirma o assessor chefe do Núcleo de Judicialização em Saúde da SES-MG, Felipe Tristão através do site da secretaria.

As demandas que chegam ao Núcleo de Judizialização são tratadas e os procedimentos para o cumprimento da decisão judicial tem início no mesmo dia, tornando mais rápida a entrega de medicamentos, por exemplo. Segundo Felipe, o NJS recebe aproximadamente mil expedientes diários, tendo como maior desafio a realização de compras individualizadas em pequenas quantidades, dificultando a compra.

“Os esforços são no sentido de padronizar e massificar as compras”, frisa Felipe Tristão. A maior parte das ações na Saúde referem-se à assistência para medicamentos e tratamentos não disponibilizados por planos de saúde ou pela rede pública. Ainda há casos de importação de medicamentos inexistentes no Brasil.


Livro Rossi
Agencia Qu4tro