Santas Casas: história e solidariedade

21/09/2020 10:51:00 - Atualizado em 21/09/2020 10:56:42

 

As Santas Casas de Misericórdia fazem parte de uma irmandade que tem como missão o tratamento e assistência aos mais necessitados. Sua orientação remonta ao Compromisso da Misericórdia de Lisboa, fundada em 1498, a pedido da rainha D. Leonor, com o objetivo de cumprir as 14 obras de misericórdia que têm fundamentos na doutrina cristã. 

São sete obras espirituais (ensinar os simples, dar bons conselhos, castigar os que erram, consolar os tristes, perdoar as ofensas, sofrer com paciência, orar pelos vivos e pelos mortos), e sete corporais (visitar os enfermos e os presos, libertar os cativos, vestir os nus, dar de comer aos famintos e de beber aos sedentos, abrigar os viajantes e enterrar os mortos). Na prática, isso se traduziria em uma organização de caridade voltada para quatro grandes atuações: tratar os doentes, dar de comer e de vestir aos presos que estavam desassistidos, socorrer os necessitados e amparar os órfãos.

Em 1525, é inaugurado em Lisboa o primeiro hospital da Misericórdia, e o Rei Dom Manuel I, ainda no século XV, fez expandir a ideia pelas colônias.

No Brasil, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia surgiu ainda no período colonial, instalando-se em Santos desde 1543, seguido pela Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Olinda e São Paulo, sendo a primeira instituição hospitalar do país, destinada a atender aos enfermos dos navios dos portos e moradores das cidades. Nesse período, entretanto, não se pode destacar nenhuma prática como científica, por que esses saberes só emergiram no país a partir da vinda da Corte portuguesa e da criação das faculdades de Medicina e de Direito. Além disso, pode-se destacar, com a fundação do município do Rio de Janeiro, por exemplo, a Santa Casa de Misericórdia do estado, instalada pelo Padre José de Anchieta para socorrer os tripulantes da esquadra do Almirante Diogo Flores Valdez, aportada à baía de Guanabara em 25 de março de 1582 com escorbuto a bordo.

Diferentemente de outras irmandades, a Misericórdia era a única que atendia o público em geral, não só os membros da organização, e até a criação do SUS, nos anos 1980, as Santas Casas permaneceram o principal aparato de cuidado médico para populações mais pobres. É que as alternativas eram estruturas estatais para trabalhadores assalariados ou o setor privado. Com o surgimento do sistema, elas passaram a ser conveniadas a ele: se antes viviam de doações, agora seriam oficialmente financiadas pelo Estado, sempre sem fins lucrativos.

Atualmente, as Santas Casas e outras entidades filantrópicas conveniadas com o SUS têm sofrido com subfinanciamento nos últimos anos, segundo o presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), Mirócles Veras, em entrevista ao site UOL. Segundo Veras, as Santas Casas recebem de 40% a 60% menos que o custo para serem mantidas, e só têm sobrevivido graças a outros convênios ou atendimentos particulares, que subsidiam o restante — meio como eram quando foram criadas no século XV.

Em 2018, em Barbacena, a Santa Casa, junto com outros hospitais sem fins lucrativos, respondiam por quase metade (43,4%) das internações hospitalares em atendimentos pelo SUS, segundo o Ministério da Saúde.

Em Barbacena, a Santa Casa de Misericórdia foi fundada pela Confraria ou Irmandade de Santo Antônio, organizada em 20 de julho de 1852, e inaugurada a 1º de Janeiro de 1858. Deve-se a fundação aos donativos de Antônio José Ferreira Armond, devido a herança herdada de seu irmão, padre José Joaquim Armond. Antônio José faleceu em 10 de janeiro de 1852, deixando em seu testamento quase toda sua fortuna para a fundação da Santa Casa.

Até hoje a instituição é uma das principais referências de saúde na cidade, sendo inclusive credenciada como Hospital Amigo da Criança, título que recebeu em 2003. Além disso, a Santa Casa de Barbacena disponibiliza em seu espaço, a Casa do Velho Amigo, que desde 1990 abriga idosos de longa permanência sem fins lucrativos, tendo como objetivo atender a população idosa com o fim de amparar e abrigar idosos de ambos os gêneros da cidade de Barbacena e região. Para alcançar seus objetivos, a instituição conta com a parceria e apoio dos familiares e ações voluntárias.

 

Com informações: UOL.


Livro Rossi
Agencia Qu4tro