Banner Aprendiz 18/032019

Parlamentares rejeitam denúncia contra vereador Milton Roman por comentários ofensivos

Na reunião da última terça-feira (20/11), a Câmara Municipal de Barbacena votou o processo de investigação contra o vereador Milton Roman (PHS), acusado de homofobia, por comentários postados em sua rede social, em outubro deste ano. A denúncia partiu da superintendente regional de ensino, Maria Thereza Antunes Fortes de Menezes Frois, que esteve presente durante a sessão. Ao todo 11 vereadores votaram contra a abertura do processo e dois foram favoráveis à investigação.

Dentre as justificativas, Pastor Ewerton (PMDB) disse que Milton não cometeu infração político-administrativa. Carlos Augusto (PMDB), que também votou contrário, disse que a proposta deveria entrar em votação após análise do Ministério Público (MP), que, segundo ele, estava previsto na leitura do documento oficial de acusação.

Outros parlamentares contrários à abertura do processo justificaram a votação com base no pedido oficial de desculpas do vereador Milton, no dia 15 de outubro, na Câmara Municipal. De acordo com a Assembléia Legislativa, o vereador disse que “não teve intenção em discriminar ninguém”. Segundo a Câmara, o vereador completou: “Recebi a mensagem e postei no meu Facebook, sem a intenção de ofender. Tenho amigos gays e sempre os tratei bem. Foi um equívoco e peço desculpas a todas as pessoas que se sentiram ofendidas por conta desta postagem”.

A denúncia contra Milton Roman veio após o parlamentar compartilhar os dizeres: “Bolsonaro vai ensinar seu filho dar tiro no exército. Haddad vai ensinar ele dar a bunda na escola”. Para a superintendente regional de ensino, a reprodução da fala desmereceu a qualidade do trabalho dos professores, ferindo a categoria.

Thiago Martins e Edson Resende, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT), foram os únicos favoráveis à abertura do processo. Para Edson, a abertura de uma investigação não representa um pedido de cassação de mandato parlamentar e a casa deveria acolher o pedido. Thiago Martins lamentou a recusa da Câmara em abrir a investigação: “É muito triste ver essa situação” comentou o vereador.

Além da discussão de abertura de processo, vereadores voltaram a apresentar indicações de reparos nas ruas da cidade, que tem sido assunto em diversas sessões parlamentares. Apesar de durar por quase duas horas, a sessão ordinária terminou sem a votação de todos os projetos, devido à falta de quórum, no final da noite.

 Por: Mike Tavares.

Orientação: Thiago Rossi.

foto: Câmara Municipal de Barbacena.

Banner Grande Podologia 1
Banner 2 Podologia – Grande

Os comentários estão desativados.