Em defesa da Educação

23/10/2019 10:17:51 - Atualizado em 23/10/2019 12:17:51
  Por: Bonifácio de Andrada Deputado Federal por 10 mandatos Contato: sitiobonifacio@yahoo.com   Quem acompanhou de perto o funcionamento do MEC no tempo dos governos petistas vai verificar que agora com administração de Bolsonaro a área educacional tomou novos rumos. No tempo petista o MEC ficava trancado e só abria as suas portas para os interesses e providências que tivessem raízes ou pedidos do PT. As repartições do MEC eram tão fechadas no tempo de Dilma Rousseff que os representantes do povo ou figuras expressivas da vida intelectual jamais conseguiam ter acesso aos setores variados da administração educacional do país. Há exemplos significativos destas atitudes ilegítimas do MEC em diversos campos educacionais. A UNIPAC, por exemplo, precisou de mais de dois anos para ter a autorização para o funcionamento da sua faculdade de odontologia, só no governo Temer. Também outro exemplo são os obstáculos que o MEC inventou para impedir o ensino a distância (EAD) para as unidades universitárias que não fossem ligadas ao PT e que não se dispusessem a um diálogo imoral ou ilegal em que se utilizava dinheiros ou financiamentos exclusivos. Exemplo da abertura do MEC do atual governo é o episódio da implantação das EAD’s que há mais de dois anos a UNIPAC solicitou do MEC, sob o comando do PT. Agora, o atual Ministro da Educação e os obstáculos então exigentes tudo está vencido e a entidade universitária de Barbacena já tem autorização para instalar cerca de 50 polos de EAD em Minas Gerais. Também se tem notícias da abertura de cursos superiores e de apoio as escolas particulares o que faltava nos governos petistas que só cuidavam de desastradas das instituições universitárias estatais, sob greves e crises. Dessa forma, verificamos que o governo Bolsonaro, no campo da Educação e da cultura, abre novos caminhos da maior relevância para o país, facilitando a expansão de educação e da cultura universitária.

Livro Rossi
Agencia Qu4tro