CPI da saúde em Barbacena: vereadores têm 48 horas para apresentar documentação complementar

Vereadores que assinaram o requerimento de votação para a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da saúde em Barbacena, têm o prazo de 48 horas para a apresentação de documentos que comprovem as argumentações do pedido de investigação. A decisão foi tomada após o procurador geral da Câmara, Ernesto Roman, analisar o requerimento e citar a necessidade de complementação de documentos.

Segundo Roman é preciso “comprovações explícitas ou notas gerais como publicações verídicas em meios de comunicação, por exemplo, dando notoriedade ao caso para que se tenham elementos consubstanciados para a aprovação do requerimento à luz das doutrinas legais”.

O vereador Thiago Martins (PT), relator do requerimento, considerou as ressalvas da Procuradoria da Câmara e se prontificou a providenciar os documentos dentro do prazo estipulado. O presidente da Câmara, Amarílio Andrade (PSC), declarou na última terça-feira (28/05) que o Legislativo não irá abrir mão da investigação: “entendo que o fato é relevante, há sim necessidade de que se façam as apurações devidas e a Câmara Municipal não vai se furtar, neste momento, de cumprir com sua obrigação de Legislar”.

 

Nova CPI deve ser solicitada nesta quinta-feira

Em meio às últimas turbulências políticas, um novo pedido de CPI deve ser apresentado nesta quinta-feira (30/05), de autoria do vereador Glauber Gava (PMB). O parlamentar quer que se investigue questões administrativas da Prefeitura Municipal de Barbacena (PMB), de 2009 até o presente momento, envolvendo desvios de verbas, não só da saúde, mas de outras repartições como “o Minha Casa Minha Vida, a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (Ete), as citadas academias de ginástica ao ar livre e também construção de ginásios e praças esportivas”, conforme esclareceu na última sessão de terça-feira.

Banner Grande Podologia 1
Banner Aplicação

Os comentários estão desativados.