Fame Informa: Mieloma Múltiplo

06/08/2020 11:50:00 - Atualizado em 06/08/2020 11:51:28

 

 

Meu nome é Pedro, sou acadêmico do 8º período da Faculdade de Medicina de Barbacena e Presidente da Liga Acadêmica de Oncologia e Cuidados Paliativos. Hoje irei falar para vocês sobre o Mieloma Múltiplo, um câncer originado no sangue.

Quando as células plasmáticas tornam-se cancerígenas e crescem fora de controle, isso é chamado mieloma múltiplo. As células plasmáticas produzem uma proteína anormal (anticorpo) conhecida por vários nomes, incluindo imunoglobulina monoclonal, proteína monoclonal (proteína M), espícula M ou paraproteína.
No mieloma múltiplo pode haver:

• Diminuição da contagem de células sanguíneas, sendo que a carência de glóbulos vermelhos pode levar à anemia.
• Diminuição no nível das plaquetas, o que pode provocar hemorragias e hematomas.
• Diminuição de glóbulos brancos, que pode predispor a infecções e a causar problemas no combate às mesmas.
• Aumento da degradação dos ossos, pois as células cancerígenas do mieloma produzem uma substância que envia um sinal aos osteoclastos, que são as células responsáveis por degradar o nosso osso e que em condições normais, encontram-se em equilíbrio com os osteoblastos, células que constroem os ossos. No mieloma há a perda desse equilíbrio, tombando a balança para o lado da destruição. Isso faz com que os ossos fiquem frágeis e debilitados, o que predispõe a fraturas mais facilmente, assemelhando-se ao quadro da osteoporose.
• O aumento da degradação dos ossos leva ao aumento da concentração sanguínea de cálcio, chamado de hipercalcemia, que, se grave, pode levar a arritmias cardíacas.
• Desenvolvimento de lesão nos rins, pois o anticorpo produzido pelas células do mieloma pode se acumular e danificar os rins, o que pode levar à insuficiência renal.
• E outros...
O diagnóstico do mieloma múltiplo é baseado numa combinação de fatores, incluindo os sintomas do paciente, alterações encontradas no exame físico realizado pelo médico e resultados dos exames de sangue e de imagem.
O diagnóstico do mieloma múltiplo requer pelo menos uma das seguintes opções:
• Diagnóstico de tumor de células plasmáticas comprovado por biópsia, ou
• Que pelo menos 10 células da medula óssea sejam células plasmáticas.
Associado a pelo menos um dos seguintes pontos:
• Elevação do nível de cálcio no sangue.
• Insuficiência renal.
• Anemia.
• Lesões ósseas devido ao crescimento do tumor, detectadas em exames de imagem.
• Aumento em um tipo de cadeias leves no sangue de modo que um tipo é 100 vezes mais comum do que o outro.
• 60% ou mais de células plasmáticas na medula óssea, detectada por exame de medula óssea.
Após o diagnóstico e estadiamento da doença, o médico discutirá com o paciente as opções de tratamento. As opções para tratamento incluem:
• Terapias locais: cirurgia e radioterapia
à São mais eficazes quando a doença encontra-se em um estágio mais inicial.
• Terapias sistêmicas: quimioterapia, bifosfonatos, células-tronco, transplante de células-tronco e plasmaferese. Diferentes tipos de tratamento podem ser combinados ao mesmo tempo ou usados um após o outro dependendo das características do paciente.

Em função das opções de tratamento definidas para cada paciente, a equipe médica deverá ser formada por especialistas, como hematologista, cirurgião ortopédico, oncologista, radioterapeuta e especialista em transplante de medula óssea. É importante que todas as opções terapêuticas sejam discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.
Para alguns pacientes com mieloma múltiplo, o tratamento pode remover ou destruir o câncer, mas chegar ao fim do tratamento pode ser estressante. Ao mesmo tempo em que o paciente se sente aliviado com o término do tratamento, fica a preocupação de um retorno da doença. Este é um sentimento muito comum para os pacientes que tiveram câncer.
Em outros pacientes, o câncer pode não desaparecer completamente. Esses pacientes continuarão realizando tratamentos regulares com quimioterapia e outros medicamentos, radioterapia ou outros tratamentos para tentar manter a doença sobre controle e aliviar os sintomas.
Quando terminar o tratamento, os médicos irão acompanhar o paciente de perto por alguns anos. Por isso, é muito importante comparecer a toas as consultas de acompanhamento. Nestas consultas o médico sempre examinará, conversará com o paciente sobre qualquer sintoma que tenha apresentado, poderá pedir alguns exames e reestadiar a doença.
Para todos os pacientes com mieloma múltiplo que já terminaram o tratamento é importante informar aos seus médicos sobre quaisquer novos sintomas ou problemas, pois eles podem ser provocados pela recidiva do câncer, por uma nova doença ou por um segundo câncer.

 

FAME
FAME

Ao longo de seus 45 anos, a FAME se destaca por formar médicos generalistas, qualificados para prestar assistência integral à comunidade, firmando-se como uma Instituição de Ensino médico comprometida com o desenvolvimento humano em todas as suas dimensões: biológica, psicológica e social, e com a formação profissional e cidadã de seus alunos.

Ver Publicações


Livro Rossi
Agencia Qu4tro