Vídeo: Secretária de Saúde de Barbacena concede entrevista exclusiva ao Papo 10

03/07/2020 13:47:00 - Atualizado em 03/07/2020 13:56:10

 

O programa Papo 10 de ontem (02/07) recebeu a secretária de Saúde de Barbacena, Marcilene Dornelas, em uma entrevista ao vivo e exclusiva. A secretária falou sobre diversos temas e começou a conversa destacando as dificuldades do momento vivido à frente do combate a pandemia do novo Coronavírus. "Enquanto Ser humano eu acredito que é uma missão e a gente tem cumprir", afirmou.

O programa foi ao ar um pouco depois de uma coletiva do Ministério da Saúde em que o reitor da Universidade Federal de Pelotas afirmou, com base na pesquisa feita junto com o Ibope em que Barbacena foi uma das cidades entrevistadas, que o número de pessoas que tiveram contato com o vírus pode ser seis vezes maior do que o apresentado pelos boletins epidemiológicos. A partir desta base, teríamos em Barbacena cerca de 2.286 pessoas que já tiveram contato com o vírus.  "Eu não posso afirmar, porque quem cuida dos números é o nosso epidemiologista, Dr. Hebert. (...) Nós temos acompanhado os gráficos que o ministério nos apresentou desde o inicio da pandemia e a gente vem crescendo ascendente a essa curva deste gráfico dentro do que estava previsto. Quando nós paramos para pensar que dos casos notificados, nós temos os positivados e temos aqueles acompanhados e que não fazem a testagem, pode sim ser este número" , afirma.

Marcilene também falou sobre o caso da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar) e ressaltou que apesar de ser uma instituição federal, ela está localizada no território barbacenense e que mantém um diálogo com a escola, que tem os seus protocolos, mas a Secretaria Municipal de Saúde (Sesap) faz as deliberações e orientações.

Sobre flexibilizar o comércio, já que Barbacena se mostra confortável no número de leitos, Marcilene afirmou que a cidade fez o seu dever de casa, mas que "não adianta Barbacena ter os leitos suficientes, mas tem que dar assistência há outras cidades", a secretária afirmou que há mais pessoas internadas de fora do que de Barbacena. "Não se espante, porque eu estou esperando que a gente receba pacientes COVID fora da nossa macro, uma vez que Belo Horizonte já está com os leitos ocupados em totalidade e Juiz de Fora também", destacou.

Ainda sobre os leitos, a secretária falou sobre o Hospital de Campanha do Estado. "Se o hospital que foi feito em Belo Horizonte tivesse respiradores e não leitos clínicos, que hoje não é o grande gargalo que a gente precisa, talvez hoje estaríamos um pouco mais confortável para todos", pontuou.

A secretária também falou sobre as verbas que o Município vem recebendo para enfrentar o COVID-19 e disse estar alinhada com o Ministério Público e Conselho Municipal de Saúde nas decisões tomadas. Marcilene confirmou que o Município receberá R$ 19 milhões. "Hoje nós gastamos o dinheiro COVID com os hospitais que estão na linha de frente, compra de EPIs quando a gente consegue. E eu te falo claramente que eu não me sinto nem um pouco feliz com esse dinheiro, porque eu tenho ética para administrar esse dinheiro. Eu só vou usar o dinheiro para a COVID e ele vai ficar na conta", destacou.

Questionada sobre as testagens em massa, a secretária defendeu que seja feita de forma regionalizada. A secretária demonstrou preocupação com a qualidade dos testes rápidos e o alto número de falsos negativos.

Confira a entrevista na íntegra, em que Marcilene fala sobre estes e vários outros assuntos:

 

 


Marcelo Miranda
Agencia Qu4tro