Projeto do IF implantará Cápsula Vanessa em hospital de Barbacena

29/05/2020 11:32:00 - Atualizado em 29/05/2020 11:48:26

 

Como a tecnologia poderia contribuir para a proteção dos profissionais de hospitais que lutam contra o Coronavírus? Essa foi a pergunta feita por Alexandre Bartoli Monteiro, professor do curso de Sistemas para Internet do Campus Barbacena, que o levou a desenvolver um estudo. O Projeto de Extensão “Implementação da Cápsula Vanessa para tratamento de pacientes com COVID-19”, coordenado por Alexandre, se baseou em estudos feitos pelo Instituto Transire, em Manaus, que desenvolveu um sistema para diminuir a necessidade de intubação precoce de pacientes de COVID-19. Batizada de Cápsula Vanessa em homenagem a uma paciente que foi tratada com o novo equipamento, a tecnologia foi concebida por médicos e fisioterapeutas.

O objetivo do projeto é reproduzir a Cápsula, porém com algumas ampliações. Serão adicionados sensores e demais tecnologias de forma que o paciente que esteja utilizando a cápsula seja monitorado 24 horas por dia, gerando dados em tempo real para ajudar na tomada de decisão dos profissionais de saúde. Todas as informações serão disponibilizadas à  equipe de saúde através de acesso remoto, permitindo o menor nível de contato físico com o paciente que usa a cápsula. Em uma etapa posterior, será feito o tratamento dos dados, buscando tirar características que permitam estudar o progresso e elaborar modelos de evolução da doença nos pacientes através de técnicas de processamento de sinais e estatísticas.

Através desses dados será possível verificar a hipótese de melhoria no tratamento dos pacientes com COVID-19. Dessa forma, tentando evitar a necessidade de intubação endotraqueal e minimizar os riscos de contaminação dos profissionais de saúde que estão na linha de frente no enfrentamento à doença, tanto pela não execução do procedimento de intubação, quanto pela contenção do aerossol que o paciente possa gerar. “Nossa meta é fornecer equipamentos de qualidade de baixo custo e de forma rápida, ampliando a oferta de tratamento e minimizando a sobrecarga do sistema de saúde nesse momento de pandemia, possibilitando assim que mais vidas possam ser salvas”, ressalta o professor.

Bartoli conta que a ideia do projeto surgiu assistindo a um programa de TV sobre o equipamento. “Na hora pensei 'o que eu como professor da área de tecnologia posso fazer  para ajudar a melhorar este projeto? Será que não poderíamos colocar tecnologia de tal maneira que seja enviado o máximo de informação para os profissionais da área de saúde? Será que tendo um paciente monitorado 24 horas não conseguiríamos coletar mais dados que atualmente os médicos não estão conseguindo observar?'”, declara Alexandre.

A construção das Cápsulas se dará a partir do manual técnico disponibilizado gratuitamente pelo instituto Transire. A adição das implementações de dispositivos serão desenvolvidos pelos profissionais dos laboratórios de eletrônica e informática da IF Sudeste MG juntamente com alunos bolsistas. A cápsula, que será construída com materiais leves e de fácil transporte, conterá um display colorido que apresenta visualmente diversas informações do paciente em tempo real. O monitoramento a aplicabilidade em campo será pela equipe de saúde do hospital FHEMIG de Barbacena – MG com o suporte da equipe técnica dos laboratórios envolvidos já mencionados.

Alexandre explica que logo que surgiu a ideia, a equipe tentou diversos contatos para levantamento de quais seriam os potenciais parceiros e o Hospital Regional de Barbacena/FHEMIG, através do seu diretor Wander Lopes, desde que foi contatado a respeito de uma possível parceria se colocou à disposição. “Por isso, desde a construção do projeto o Hospital Regional de Barbacena/FHEMIG tem nos ajudado com informações técnicas da área de saúde”, afirma.

O projeto conta com a contribuição da professora do curso de Enfermagem do Campus Barbacena, Renata Condé e dos professores Filipe Andrade La-Gatta, Leandro Luiz Rezende de Oliveira e Thiago da Silva Castro do Campus Juiz de Fora.

O Projeto de Extensão, se classificou em nono lugar no edital nacional de seleção de projetos no combate ao Coronavírus. Para Bartoli, é uma vitória não só da equipe, mas de todos os Institutos Federais que neste momento delicado estão trabalhando cada um com os seus desafios para contribuir com a sociedade no combate ao COVID-19. “O projeto será construído e desenvolvido multicampi, ou seja, estamos trabalhando com profissionais do Campus Barbacena e Juiz de Fora. Como professor e pesquisador acredito que posso falar em nome de toda equipe: é um prazer poder contribuir com a sociedade em um momento tão desafiador, aplicando os conhecimentos desenvolvidos em sala de aula de forma prática.”

Além do uso no tratamento de doentes por COVID-19 a Cápsula Vanessa poderá também ser utilizada no tratamento de outras doenças respiratórias infectocontagiosas, como também por outros doentes em quadros respiratórios diversos.

Fonte: Ascom IF Barbacena - por Marcela Souza


Vero Internet
Agencia Qu4tro