Ex-aluna da UFSJ recebe menção honrosa da Dimension Sciences

21/07/2021 11:51:00 - Atualizado em 23/07/2021 08:57:02

 

Amanda Ouchida, pesquisadora e ex-aluna da UFSJ, reside atualmente nos Estados Unidos, onde participa de pesquisas de novos medicamentos para o tratamento do câncer, pela qual recebeu menção honrosa da Dimension Sciences pelo trabalho realizado no Broad Institute of MIT and Harvard.

De Cláudio (MG), onde nasceu e cresceu, foi estudar Bioquímica na UFSJ, fazendo parte da orgulhosa primeira turma do Campus Dona Lindu. Graduada, Amanda foi direto para o doutorado, na mesma área, cursado na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP/USP), com período sanduíche na Harvard Medical School, em Boston, Massachusetts. Partiu para o pós-doutoramento em Biologia do Câncer no Karolinska Institutet (Suécia), voltando para os Estados Unidos, a fim de cursar o segundo pós-doutorado, no Albert Einstein College of Medicine (Nova York). Atualmente, Amanda é cientista no Broad Institute of MIT and Harvard.

Identificar novos alvos e fármacos para o tratamento do câncer é o principal foco da pesquisa em estágio pré-clínico de que Amanda participa. Difere de outros estudos já existentes, pois possibilita fazer a conexão entre as informações e testar as drogas para vários tipos de câncer ao mesmo tempo. “Por enquanto, estamos pesquisando o fármaco que combate a causa da doença. A plataforma que utilizamos nos permite testar mais de 100 mil fármacos em 750 diferentes tipos de câncer ao mesmo tempo, culminando no aceleramento dos estágios iniciais do desenvolvimento de fármacos. Ainda é preciso validar e fazer vários testes. Do estágio atual da pesquisa, até chegar ao paciente, são cerca de 10 anos,” conta a pesquisadora.

Os tratamentos atuais para o câncer nos Estados Unidos, segundo Amanda, já estão mais personalizados, e combinam as drogas que existem com análise individualizada do paciente e uso de quimioterápicos, que geralmente causam muitos efeitos colaterais. “Nossa  tentativa é diminuir e prolongar a vida do paciente com mais qualidade”, explica.

Por Izadora Tavares para Folha de Barbacena, com informações da ASCOM da UFSJ.

Foto: UFSJ


Coisas de mãe
Festival de musica